A administração dos Marqueses de Cascais em Itamaracá: capitães-mores e procuradores do donatário (1692-1763)

Autores

  • Luciana de Carvalho Barbalho Velez Biblioteca Pública do Estado de Pernambuco - BPE

DOI:

https://doi.org/10.47456/e-2021320310

Palavras-chave:

Capitania de Itamaracá, Casa de Cascais, Administração Donatarial

Resumo

A capitania de Itamaracá permaneceu como uma donataria em um período em que ocorriam progressivamente incorporações das capitanias hereditárias do Atlântico ao patrimônio régio, durante os séculos XVII e XVIII. A devolução da referida capitania à família donatarial dos Marqueses de Cascais ocorreu em 1692, permanecendo com a posse até a morte da última herdeira da Casa de Cascais, em 1763. Dentro deste contexto, o objetivo deste artigo é entender como os Marqueses de Cascais mantinham a administração de sua possessão à distância, através das nomeações para ofícios da administração colonial, sobretudo o ofício de capitão-mor, relativo ao governo da capitania, bem como de procuradores do donatário, muitas vezes coincidente com o de capitão-mor.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fontes

ARQUIVO HISTÓRICO ULTRAMARINO (AHU), Avulsos de Pernambuco.

PORTUGAl/Câmara Municipal da Casa Senhorial de Cascais – Arquivo Histórico Municipal da Casa Senhorial de Cascais/Arquivo Familiar dos Marqueses de Louriçal/Marqueses de Cascais (PT/CMCSC-AHMCSC/AFML/MCS)

ARQUIVO PÚBLICO ESTADUAL DE PERNAMBUCO JORDÃO EMERENCIANO – Ordens Régias 2 (APEJE/OR2). Provedoria da Fazenda Real da Capitania de Itamaracá – 1680-1760.

Obras Gerais

ACIOLI, Vera Lúcia. Jurisdição e conflito: aspectos da administração colonial. Recife: UFPE / Departamento de História, 1997.

ALVEAL, Carmen Margarida de Oliveira. De senhorio colonial a território de mando: os acossamentos de Antônio Vieira de Melo no Sertão de Ararobá (Pernambuco, século XVIII). Revista Brasileira de História. São Paulo, V. 35, nº 70, 2015.

ANDRADE, Manuel Correia de. Itamaracá, uma capitania frustrada. Coleção Tempo Municipal 20, Recife: Centro de Estudos de História e Cultura Municipal – CEHM, 1999

ASSIS, Virgínia Maria Almoêdo de Assis. Palavra de Rei... Autonomia e Subordinação na Capitania de Pernambuco. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal de Pernambuco – UFPE – CFCH, Recife, 2001.

BARBALHO, Luciana de Carvalho. Capitania de Itamaracá – Poder Local e Conflito: Goiana e Nossa Senhora da Conceição (1685-1742). Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal da Paraíba-UFPB, João Pessoa, 2009.

BARBALHO VELEZ, Luciana de Carvalho. Donatários e Administração Colonial: a Capitania de Itamaracá e a Casa de Cascais (1692-1763). Tese (Doutorado em História), Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2016.

BARBALHO VELEZ, Luciana de Carvalho. Itamaracá, uma donataria entre as capitanias reais do norte. In: COSTA, Ariadne Ketini; CHAVES JR., José Inácio (Org.). Fazer e refazer o Império: agência e agentes na América Portuguesa (séculos XVII-XIX). Vitória: DLL/UFES, 2011.

BICALHO, Maria Fernanda Baptista. Pacto colonial, autoridades negociadas e o império português. In: SOIHET, Rachel, BICALHO, Maria Fernanda Baptista e GOUVÊA, Maria de Fátima Silva (Org.). Culturas Políticas: ensaios de história cultural, história política e ensino de história. Rio de Janeiro: Mauad, 2005.

CHAVES, José Inaldo. As Capitanias de Pernambuco: política e administração na América Portuguesa (sécs. XVII-XVIII).1 ed. Belo Horizonte [MG]: Fino Traço, 2021.

CUNHA, Mafalda Soares. Governo e governantes do Império português do Atlântico (século XVII). In: BICALHO, Maria Fernanda e FERLINI, Vera Lúcia Amaral (Org.). Modos de Governar: Ideias e práticas políticas no Império Português (séculos XVI – XIX). 2ª Edição, São Paulo: Alameda, 2005.

CURVELO, Arthur Almeida Santos Carvalho. Governar Pernambuco e as “capitanias anexas”. O perfil de recrutamento, a comunicação política e as jurisdições dos governadores da capitania de Pernambuco (c.1654-1756). Tese (Doutorado em História, Universidade de Lisboa, Lisboa, 2019.

FONSECA, Marcos Arthur Viana da. Sob a sombra dos governadores de Pernambuco? Administração dos capitães-mores da capitania do Rio Grande (1701-1750). Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

GONÇALVES, Regina Célia. Guerra e Açúcares: Política e Economia na Capitania da Parayba, 1585-1630. Bauru, SP: Edusc, 2007.

LOURENÇO, Maria Paula Marçal. D. Pedro II: o Pacífico (1648-1709). Reis de Portugal. Lisboa: Círculo de leitores e centro de estudos dos povos de culturas de expressão portuguesa, 2007.

MELLO, Evaldo Cabral de. A Fronda dos Mazombos: Nobres contra Mascates. Pernambuco (1666-1715). São Paulo: Editora 34, 2003.

MENEZES, Mozart Vergetti. Colonialismo em Ação: Fiscalismo, Economia e Sociedade na capitania da Paraíba (1647-1755). Tese (Doutorado em História Econômica), Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo de Freitas. O crepúsculo dos grandes: A casa e o patrimônio da aristocracia em Portugal (1750-1832). Lisboa: Imprensa nacional-Casa da Moeda, 2ª Edição revista, 2003.

MONTEIRO, Nuno Gonçalo de Freitas. Governadores e Capitães-Mores no Império Atlântico português no século XVIII. In: BICALHO, Maria Fernanda e FERLINI, Vera Lúcia Amaral (Org.). Modos de Governar: Ideias e práticas políticas no Império Português (séculos XVI – XIX). 2ª Edição, São Paulo: Alameda, 2005.

MORAIS, Ana Lunara da Silva. Em busca da perpetuação. Reprodução social e poder econômico da nobreza da terra nas Capitanias do Norte (séc. XVI a XVIII). Tese (Doutorado em História), Universidade de Évora, Évora, 2021.

OLIVEIRA, Leonardo Paiva de. Capitães-mores das Capitanias do Norte: perfis, trajetórias e hierarquias espaciais no Rio Grande e Ceará (1656-1755). Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2018.

RAMINELLI, Ronald José. Nobrezas do Novo Mundo: Brasil e ultramar hispânico, séculos XVII e XVIII. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015.

SALDANHA, Antônio Vasconcelos de. As capitanias do Brasil: antecedentes, desenvolvimento e extinção de um fenômeno atlântico. Lisboa: Comissão Nacional para as Comemorações dos descobrimentos Portugueses, 2001.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. D. João V. Reis de Portugal. Lisboa: Círculo de Leitores e Centro de Estudos dos Povos e Culturas de Expressão Portuguesa, 2006.

SILVA, Maria Beatriz Nizza da. Ser nobre na colônia. São Paulo: UNESP, 2005.

SUBTIL. José. Os poderes do centro. In: MATTOSO, José (Org). História de Portugal: O Antigo Regime (1620-1807). Vol. 4. Lisboa: Editorial Estampa, 1998.

Downloads

Publicado

14-12-2021

Como Citar

DE CARVALHO BARBALHO VELEZ, L. A administração dos Marqueses de Cascais em Itamaracá: capitães-mores e procuradores do donatário (1692-1763). Revista Ágora, [S. l.], v. 32, n. 3, p. e–2021320310, 2021. DOI: 10.47456/e-2021320310. Disponível em: https://portaldepublicacoes.ufes.br/agora/article/view/36157. Acesso em: 21 maio. 2022.