Homens de Guerra e Governança: o perfil e as trajetórias dos capitães-mores da Capitania do Siará Grande (1679-1720)

Autores

  • Rafael Ricarte da Silva Universidade Federal do Piauí

DOI:

https://doi.org/10.47456/e-2021320201

Palavras-chave:

Capitania do Siará Grande, Sesmarias, Capitães-mores

Resumo

O presente artigo tem por objetivo analisar o perfil e as trajetórias dos sujeitos históricos indicados ao posto de capitão-mor da Capitania do Siará Grande entre os anos de 1679 e 1720. Este estudo pautou-se na análise do perfil dos candidatos escolhidos pela Coroa portuguesa para a administração da capitania, esmiuçando suas trajetórias de serviços prestados ao Império português, e como estes atuaram no processo de concessão de sesmarias durante seus governos no Siará Grande. O corpus documental é composto por manuscritos avulsos do Conselho Ultramarino, legislação sesmarial, cartas de sesmarias e registros de nomeações para o posto de capitão-mor contidos no fundo do Registo Geral de Mercês. Destaca-se, que existiu forte relação entre o contexto de conquista por qual estava passando a capitania e o perfil dos candidatos selecionados para o cargo de capitão-mor, os homens de guerra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Fontes

, abril, 1, Lisboa] Consulta do Conselho Ultramarino ao rei [D. Pedro II], sobre a nomeação de pessoas para o posto de capitão-mor do Ceará, que vagou por falecimento de Jorge Correia da Silva. Resolução régia a nomear Sebastião de Sá. Manuscritos Avulsos da Capitania do Ceará. AHU-Ceará, cx. 1, doc. 31.

, maio, 6, Lisboa] Consulta do Conselho Ultramarino ao rei [D. Pedro II], sobre a nomeação de pessoas para o cargo de capitão-mor do Ceará. Resolução régia a nomear Bento de Macedo de Faria. Manuscritos Avulsos da capitania do Ceará. AHU-Ceará, cx. 1, doc. 32.

, junho, 21, Lisboa] Consulta do Conselho Ultramarino ao rei [D. Pedro II], sobre nomeação de pessoas para o posto de capitão-mor do Ceará. Resolução régia a nomear Tomás Cabral de Olival. Manuscritos Avulsos da capitania do Ceará. AHU-Ceará, cx. 1, doc. 38.

, dezembro, 23, Lisboa] Consulta do Conselho Ultramarino ao rei [D. Pedro II], sobre o requerimento do recém-nomeado capitão-mor do Ceará, Tomás Cabral de Olival, que pede ajuda de custo para viajar para a referida capitania. Manuscritos Avulsos da Capitania do Ceará. AHU-Ceará, cx. 1, doc.

[anterior a 1699, dezembro, 16] Requerimento do ex-capitão-mor do Ceará, Tomás Cabral de Olival, ao rei [D. Pedro II], a pedir o hábito da Ordem de Cristo, com 200 mil réis de tença. Manuscritos Avulsos da Capitania do Ceará. AHU-Ceará, cx. 1, doc.

, julho, 15, Lisboa] Consulta do Conselho Ultramarino ao rei [D. João V], sobre nomeação de pessoas para o posto de capitão-mor do Ceará. Resolução régia a nomear João Batista Furtado. Manuscritos Avulsos da capitania do Ceará. AHU-Ceará, cx. 2, doc. 4.

Datas de sesmarias do Ceará e índices das datas de sesmarias: digitalização dos volumes editados nos anos de 1920 a 1928 (Org.). Arquivo Público do Estado do Ceará. Fortaleza: Expressão Gráfica/Wave Media, 2006. CD-ROM.

Carta do capitão-mor do Ceará D. Francisco Ximenes de Aragão ao rei D. João V, 21 de outubro de 1739. Biblioteca Nacional de Lisboa, Reservados, Manuscritos 72, número 12, fl. 01-02v.

Regimento que se mandou aos capitães-mores das capitanias do Estado do Brasil, de 1.10.1663, em Documentos Históricos, vol. 5, pp. 374-380. Apud: SALGADO, G. (Coord.). Fiscais e meirinhos: a administração no Brasil colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Brasília: INL, 1985, p. 243-244.

Regimento que levou o capitão-mor do Siará Grande Sebastião de Sá. Arquivo da Universidade de Coimbra, Coleção Conde dos Arcos, Disposições dos Governadores, Tomo I, fl. 427v-428v.

Obras Gerais

ALVEAL, C. Os desafios da governança e as relações de poder na Capitania do Rio Grande na segunda metade do século XVII. In: MACEDO, H.; SANTOS, R. (Org.). Capitania do Rio Grande: histórias e colonização na América portuguesa. João Pessoa: Ideia; Natal: EDUFRN, 2013, p. 27-44.

ALVEAL, C.; OLIVEIRA, L. Capitão-mor: nomeações para o governo do Rio Grande (1667-1781). Natal: Flor do Sal, 2016.

ALVEAL, C.; DIAS, T. Por uma história das Capitanias do Norte: questões conceituais e historiográficas sobre uma região colonial no Brasil. História Unicap, v. 7, n. 13, jan./jun. de 2020, p. 10-32. Disponível em: < http://www.unicap.br/ojs/index.php/historia/article/view/1704>. Acesso em: 20 mai. 2021.

BARBOSA, L. Entre a distância e a fidelidade: relações entre os capitães-mores do Rio Grande e os Governadores de Pernambuco (segunda metade do século XVII). Revista Acadêmica Historien (Petrolina). Ano 5. Nº 10. Jan./Jun de 2014, p. 111-132. Disponível em: <http://lehs.ufrn.br/relacoes.pdf>. Acesso em: 20 out. 2020.

BICALHO, M. Conquista, Mercês e Poder local: a nobreza da terra na América portuguesa e a cultura política do Antigo Regime. Almanack Braziliense, n. 2, Universidade Federal Fluminense, nov. 2005, p. 21-34.

FRAGOSO, J.; GOUVÊA, M.; BICALHO, M. Uma leitura do Brasil colonial: bases da materialidade e da governabilidade no império. Penélope – Revista de História e Ciências Sociais, número 23. Oeiras: Celta Editora, 2000, p. 67-88.

KÜHN, F. Os governadores da fronteira meridional: Colônia do Sacramento e Rio Grande de São Pedro (1680-1809). In: POSSAMAI, P. (Org.). Conquistar e defender: Portugal, Países Baixos e Brasil – estudos de história militar na idade moderna. São Leopoldo: Oikos, 2012, p. 329-344.

MARQUES, D. Por meus méritos às minhas mercês: elites locais e a distribuição de cargos (Comarca das Alagoas – século XVIII). In: CAETANO, A. (Org.). Alagoas Colonial: construindo economias, tecendo redes de poder e fundando administrações (séculos XVII-XVIII). Recife: Editora Universitária da UFPE, 2012, p. 87-126.

MONTEIRO, N. Poder Senhorial estatuto nobiliárquico e aristocracia. In: HESPANHA, A. (coord.). História de Portugal. Volume 4. Lisboa: Editorial Estampa, 1998, p. 297-335.

MONTEIRO, N.; CUNHA, M. Governadores e capitães-mores do Império Atlântico português nos séculos XVII e XVIII. In: MONTEIRO, N.; CUNHA, M.; CARDIM, P. (Coords.). Optima Pars: Elites Ibero-americanas do Antigo Regime. Lisboa: ICS, 2005, p. 191-252.

OLIVAL, F. As Ordens Militares e o Estado Moderno: honra, mercê e venalidade em Portugal (1641-1789). Lisboa: Estar, 2001.

OLIVEIRA, L. Capitães-mores das Capitanias do Norte: perfis, trajetórias e hierarquias espaciais no Rio Grande e Ceará (1656-1755). Dissertação (Mestrado em História), Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2018.

RICUPERO, R. A formação da elite colonial: Brasil, c.1530-c.1630. São Paulo: Alameda, 2009.

RUSSELL-WOOD, A. A base moral e ética do governo local no Atlântico luso-brasileiro durante o Antigo Regime. In: GONÇALVES, A.; CHAVES, C.; VENÂNCIO, R. (Org.). Administrando Impérios: Portugal e Brasil nos séculos XVIII e XIX. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012, p. 13-44.

SALGADO, G. (Coord.). Fiscais e meirinhos: a administração no Brasil colonial. Rio de Janeiro: Nova Fronteira; Brasília: INL, 1985.

SANTOS, F. Os capitães-mores do Pará (1707-1737): trajetórias, governo e dinâmica administrativa no Estado do Maranhã. Topoi (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 16, n. 31, p. 667-688, jul./dez. 2015. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2237-101X2015000200667&lng=pt&tlng=pt>. Acesso em: 20 de out. de 2020.

SIQUEIRA, L. Homens de mando e de guerra: capitães mores em Sergipe del Rey (1648-1743). Tese (Doutorado em História), Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2016.

Downloads

Publicado

24-08-2021

Como Citar

RICARTE DA SILVA, R. Homens de Guerra e Governança: o perfil e as trajetórias dos capitães-mores da Capitania do Siará Grande (1679-1720). Revista Ágora, [S. l.], v. 32, n. 2, p. e–2021320201, 2021. DOI: 10.47456/e-2021320201. Disponível em: https://portaldepublicacoes.ufes.br/agora/article/view/33005. Acesso em: 12 ago. 2022.

Edição

Seção

Os Governos do Império: Vice-reis, governadores e capitães-mores no mundo portug