Pandemia, audiovisual nas redes sociais e forças reativas que despotencializam o pensar a espacialidade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/geo.v1i32.35500

Palavras-chave:

Pandemia, Audiovisual, Espaço Geográfico

Resumo

Este trabalho buscar analisar dois audiovisuais (agenciamentos entre vídeo, áudio e discursos que se avizinham) que estão relacionados ao contexto pandêmico. Estes ocupam as redes sociais, um no YouTube, outro no Facebook. Queremos focar a compreensão dos discursos e narrativas que eles fazem circular, assim como as forças que compõe e como elas se imbricam num modo de subjetivação desta pandemia de Covid-19. Diante do exposto, queremos provocar os leitores, para que se atentem a estes agenciamentos de modo a entende-los melhor, assim como criar e possibilitar outras formas de agenciamento que rasure estas forças, abrindo espaço para pensar de outra maneira.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

thiago albano pimenta, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD)

"

Professor e pesquisador, membro dos grupos de pesquisa "Geograficidades Amazônicas", "Educação, Sociedade e Práticas Linguísticas" e "(Geo)grafias, linguagens e percursos educativos", com mestrado e doutorado em Geografia pela Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD). Atuante na educação desde 2011, em escolas estaduais e municipais do Mato Grosso do Sul, atualmente professor da rede federal no Instituto Federal do Pará. Os principais pontos de interesses de pesquisa estão relacionados às temáticas do ensino de Geografia, linguagem cinematográfica e os atravessamentos filosóficos para pensar as "geografias".

Referências

DELEUZE, Gilles. Nietzsche. Lisboa: Edições 70, 2007.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. O que é filosofia? Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.

_____________________. Mil Platôs: Capitalismo e Esquizofrenia, vol. 5. São Paulo, Ed. 34, 1997.

MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. P.97-210.

NIETZSCHE, Friedrich Wilhelm. Assim Falou Zarastustra: um livro para todos e para ninguém. São Paulo: Martin Claret, 2014.

OLIVEIRA JR, Wenceslao Machado de. O que seriam as geografias de cinema? In: Leituras Transdisciplinares de Telas e Textos, Belo Horizonte, v.1, n.2, p.27-33, 2005.

_____________________. Grafar o espaço, educar os olhos. Rumo a geografias menores. Pro-Posições, Campinas, v. 20, n. 3 (60), p. 17-28, set./dez. 2009.

SANTOS, V. R. dos; RIBEIRO, W. C. Spinoza, uma filosofia da imanência dos afetos. Kínesis, Vol. XII, n° 33, dezembro 2020, p.198-212

SPINOZA, B. Ética segundo a ordem geométrica. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.

PIMENTA, Thiago A. S. Cinema, Geografias e Ensino: Diálogos, Encontros e Atravessamentos. Tese de Doutorado, Dourados, UFGD, 2019.

Downloads

Publicado

2021-07-21

Como Citar

PIMENTA, thiago albano. Pandemia, audiovisual nas redes sociais e forças reativas que despotencializam o pensar a espacialidade. Geografares, [S. l.], v. 1, n. 32, p. 197–216, 2021. DOI: 10.47456/geo.v1i32.35500. Disponível em: https://portaldepublicacoes.ufes.br/geografares/article/view/35500. Acesso em: 27 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê Geografizando a pandemia. Entrelugares do adoecimento existencial