Conselhos municipais de assistência social: história, fragilidades e possibilidades

Autores

  • Vini Rabassa da Silva Universidade Católica de Pelotas – Pelotas (RS)
  • Mara Rosange Medeiros

DOI:

https://doi.org/10.18315/argumentum.v2i2.953

Resumo

Este trabalho pretende enfocar as complexas relações que constituem os Conselhos de Assistência Social, apresentando as suas origens, as dificuldades na sua implantação, além de destacar os desafios relacionados a pouca participação popular e as diversas práticas de cooptação, muitas vezes adotadas pelos gestores, pautadas por interesses de captação de recursos. Também são apresentados os avanços no processo de democratização, ficando evidente que os Conselhos estão colaborando para dar caráter público à Política de Assistência Social. Finalizando, traz à tona a necessidade de se efetivarem as propostas aprovadas na VII Conferência Nacional de Assistência Social, realizada em novembro de 2009, ressaltando que, neste momento, são necessários dois novos movimentos: criar Conselhos Gestores locais nos CRAS e CREAS e revisar a composição dos Conselhos, garantindo maior representação aos usuários. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mara Rosange Medeiros

Assistente social, doutora em Serviço Social pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), professora do Curso de Serviço Social e do Mestrado em Política Social da Universidade Católica de Pelotas. Coordenadora do Programa de Formação, Assessoria e Apoio à Participação em Políticas Públicas. E-mail: rosange@terra.com.br

Downloads

Publicado

2011-02-26

Como Citar

da Silva, V. R., & Medeiros, M. R. (2011). Conselhos municipais de assistência social: história, fragilidades e possibilidades. Argumentum, 2(2), 163-173. https://doi.org/10.18315/argumentum.v2i2.953

Edição

Seção

Artigos Temáticos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)