Do reconhecimento da dialética do trabalho à prefiguração da sociedade dos trabalhadores livremente associados

Autores

  • Marcelo Badaró Mattos . É professor titular de História do Brasil na Uni-versidade Federal Fluminense

DOI:

https://doi.org/10.18315/argumentum.v2i2.944

Resumo

 

O artigo de Ricardo Antunes - Trabalho uno ou omni: a dialética entre o trabalho concreto e o trabalho abstrato - recoloca algumas das questões centrais para o debate marxista sobre o trabalho, num duplo patamar. De um lado, recupera as distinções elaboradas por Marx entre trabalho abstrato e trabalho concreto, para sintetizar as reflexões marxianas sobre um elemento (senão o elemento) central de suas reflexões: a questão do estranhamento - e da alienação e do fetichismo. De outro lado, recupera o projeto de superação do capitalismo, ou melhor, para empregar a terminologia de Mészáros conforme o faz Antunes, da lógica sócio-metabólica do capital.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

Mattos, M. B. (2011). Do reconhecimento da dialética do trabalho à prefiguração da sociedade dos trabalhadores livremente associados. Argumentum, 2(2), 23-28. https://doi.org/10.18315/argumentum.v2i2.944

Edição

Seção

Debate