O perfil dos cirurgiões-dentistas e o monitoramento de indicadores em saúde bucal dos municípios da 1ª Regional de Saúde do Pará

Autores

  • Gabriel Mácola de Almeida Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-0618-829X
  • Amanda Menezes Medeiros Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-9783-6821
  • Dimitra Castelo Branco Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-9848-4941
  • Pettra Blanco Lira Matos Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil. https://orcid.org/0000-0001-6469-7570
  • Adalberto Lírio de Nazaré Lopes Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-7094-3878
  • Liliane Silva do Nascimento Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil. https://orcid.org/0000-0002-5943-6314

DOI:

https://doi.org/10.21722/rbps.v22i1.25861

Palavras-chave:

Saúde Bucal, Avaliação em Saúde, Atenção Primária à Saúde, Indicadores Básicos de Saúde

Resumo

Introdução: Conhecer o perfil dos profissionais de saúde evidencia a realidade de saúde do território, sendo ferramenta de caráter estratégico para entender e auxiliar o processo de trabalho e a tomada de decisões. Objetivo: Analisar o perfil dos cirurgiões-dentistas dos municípios e o monitoramento de indicadores em saúde bucal da 1ª Regional de Saúde do Pará. Métodos: Através de estudo transversal, analisaram-se microdados da avaliação externa do 2º ciclo do Programa Nacional para Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica, totalizando amostra de 44 profissionais de equipes de saúde bucal da 1ª Regional de Saúde do Pará. Os microdados foram gerados a partir da aplicação de instrumento validado do Ministério da Saúde a cirurgiões-dentistas no período de 2013 a 2014. As variáveis foram agrupadas em quatro categorias de análise: formação profissional, atuação profissional, planejamento/monitoramento e atenção ao usuário. Resultados: Foi encontrado que 61,4% dos cirurgiões dentistas possuíam pós-graduação, sendo predominante na área de mestrado e residência não relacionados à estratégia de saúde da família. 97,7% foram contratados por meio de administração direta. Apenas 45,5% afirmam realizar o monitoramento e análise de indicadores de saúde bucal. Mais da metade dos profissionais revelaram não saber se possuem registro de casos suspeitos ou confirmados de câncer de boca na unidade. Conclusão: O perfil dos cirurgiões-dentistas foi de profissionais com capacitação predominantemente fora da atenção primária à saúde, com modalidades de contratos temporários que fragilizam vínculos e potencializam a rotatividade de profissionais. O monitoramento de indicadores de saúde bucal e o registro de pacientes suspeitos/confirmados de câncer de boca foi baixo, reforçando a necessidade de aprimoramento na origem e qualidade de dados para o sistema de informação em saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gabriel Mácola de Almeida, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil.

Graduando de odontologia pela UFPa e pesquisador com bolsa do CNPq na área de Saúde Coletiva, mais especificamente no Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica Pará.

Amanda Menezes Medeiros, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil.

Discente nível mestrado do programa de pós-graduação em saúde, ambiente e sociedade da UFPA

Dimitra Castelo Branco, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil.

Pesquisadora colaboradora do grupo de pesquisa saúde interdisciplinar da amazônia da UFPA

Pettra Blanco Lira Matos, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil.

Discente nível mestrado do programa de pós-graduação em saúde, ambiente e sociedade da UFPA

Adalberto Lírio de Nazaré Lopes, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil.

Pedagogo do Instituto de Ciências da Saúde da UFPA; Coordenador de campo do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica Pará; Pesquisador colaborador do grupo de pesquisa saúde interdisciplinar da amazônia da UFPA.

Liliane Silva do Nascimento, Universidade Federal do Pará, Faculdade de Odontologia/ Instituto de Ciências da Saúde. Rua Augusto Corrêa, 1, Guamá, 66075-110, Belém, Pará, Brasil.

Docente associada do Instituto de Ciências da Saúde da UFPA; Coordenadora geral do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica Pará.

Referências

1. Andrade RTS, Santos AM, Oliveira, MC. Programa de Melhoria de Acesso e Qualidade da Atenção Básica no Município de Amargosa, Bahia. Revista Baiana de Saúde Pública. 2016 Jan/Mar; 40(1): 123-146. DOI: https://doi.org/10.22278/2318-2660.2016.v40.n1.a796
2. Sobrinho L, Eudes J, Lima MPJ, Albuquerque MSV, Maciel LT, Feitosa FS. Acesso e qualidade: avaliação das Equipes de Saúde Bucal participantes do PMAQ-AB 2012 em Pernambuco. Saúde debate. 2015 Mar; 39(104): 136-146. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-110420151040209
3. Vieira AST, Miranda MSL, Emmi DT, Pinheiro HHC, Barroso RFF, Araújo MVA. Percepção dos usuários de serviços de saúde da atenção básica no estado do Pará. Revista Brasileira de Pesquisa e Saúde. 2016 Jul/Set; 18(3): 58-64. DOI: https://doi.org/10.21722/rbps.v18i3.15743
4. Casotti E, Contarato PC, Fonseca ABM, Borges PKO, Baldani MH. Atenção em Saúde Bucal no Brasil: uma análise a partir da Avaliação Externa do PMAQ-AB. Saúde em Debate. 2014; 38(spe):140-157. DOI: https://doi.org/10.5935/0103-1104.2014S011
5. Ministério da Saúde. Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade: Manual Instrutivo Para as Equipes de Atenção Básica (Saúde da Família, Saúde Bucal e Equipes parametrizadas) e NASF - 2º Ciclo. Brasília, 2013. [Citado em 10 de outubro de 2018]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab//publicacoes/manual_instrutivo_PMAQ_AB2013.pdf
6. Fausto MC, Bousquat A, Lima JG, Giovanella L, Almeida PF, Mendonça MH. et al. Evaluation of Brazilian Primary Health Care from the Perspective of the Users: Accessible, Continuous, and Acceptable? Journal of Ambulatory Care Manage. 2017 Apr/Jun; 40(Suppl 2): 60-70. DOI: https://doi.org/10.1097/JAC.0000000000000183
7. Souza MF, Santos AF, Reis IA, Santos MAC, Jorge AO, Machado ATGM, et al. Coordenação do cuidado no PMAQ-AB: uma análise baseada na Teoria de Resposta ao Item. Revista de Saúde Pública. 2017; 51(87). DOI: https://doi.org/10.11606/s1518-8787.2017051007024
8. Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n. 267 de 06 de março de 2001. Inclusão das ações de saúde bucal na estratégia do Programa de Saúde da Família, como forma de reorganização desta área no âmbito da atenção básica. Diário Oficial da União, Brasília (DF); 2001 mar 7; Seção 1: 67.
9. Thurow LL, Castilhos ED, Costa JSD. Comparação das práticas odontológicas segundo modelos de atendimento: tradicional e da Saúde da Família, Pelotas-RS, 2012-2013. Epidemiologia e Serviços de Saúde. 2015 jul/set; 24(3): 545-550. DOI: http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742015000300021.
10. Maciel JAC, Vasconcelos MIO, Silva ILC, Eloia SMC, Farias MR. Educação Permanente em Saúde Para o Cirurgião-Dentista da Estratégia Saúde da Família: Uma Revisão Integrativa. Revista APS. 2017 jul/set; 20(3): 414 - 422.
11. Ministério da Saúde. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília, 2004. [citado em 5 janeiro 2019]. Disponível em: <http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/diretrizes_da_politica_nacional_de_saude_bucal.pdf>
12. Manassero FB, Bavaresco CS. Inserção do Cirurgião-Dentista na Estratégia de Saúde da Família: Revisão de Literatura. Revista APS. 2016 abr/jun; 19(2): 286-291.
13. Mattos GCM, Ferreira EF, Leite ICG, Greco RM. A inclusão da equipe de saúde bucal na Estratégia Saúde da Família: entraves, avanços e desafios. Ciência & saúde coletiva. 2014 Fev; 19(2): 373-382. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232014192.21652012.
14. Portal egestor: Informação e Gestão da Atenção Básica. Cobertura de Saúde Bucal: Região Metropolitana I, março 2019. Ministério da saúde. [citado em 11 abril de 2019]. Disponível em: https://egestorab.saude.gov.br/paginas/acessoPublico/relatorios/relHistoricoCoberturaSB.xhtml
15. Secretaria Estadual de Saúde do Pará. SESPA. Regionais De Saúde [citado em 20 fevereiro de 2019]. Disponível em: http://www.saude.pa.gov.br/institucional/centros-regionais-de-saude/
16. Seidl H, Vieira SP, Fausto MCR, Lima RCD, Gagno J. Gestão do trabalho na Atenção Básica em Saúde: uma análise a partir da perspectiva das equipes participantes do PMAQ-AB. Saúde em Debate. 2014 Out;38(spe): 94-108. DOI: https://doi.org/10.5935/0103-1104.2014S008
17. Flôres GMS, Weigelt LD, Rezende MS, Telles R, Krug SBF. Gestão pública no SUS: considerações acerca do PMAQ-AB. Saúde debate. 2018 Jan; 42(116): 237-247. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-1104201811619.
18. Júnior FIRM, Bandeira MAM, Tajra FS. Percepção dos profissionais quanto à pertinência dos indicadores de saúde bucal em uma metrópole do Nordeste brasileiro. Saúde Debate. 2015 jan-mar; 39(104): 147-158. DOI: https://doi.org/10.1590/0103-110420151040205
19. Ministério da Saúde. Política Nacional de Atenção Básica. Brasília, 2012. [citado em 5 janeiro 2019]. Disponível em: <http://189.28.128.100/dab/docs/publicacoes/geral/pnab.pdf>
20. Stancato K, Zilli PT. Fatores geradores da rotatividade dos profissionais de Saúde: uma revisão de literatura. Revista de Administração em Saúde. 2010 abr-jun; 12(47): 87-99.
21. Tonelli BQ, Leal APR, Tonelli WFQ, Veloso DCMD, Gonçalves DP, Tonelli SQ. Rotatividade de profissionais da Estratégia Saúde da Família no município de Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Revista da Faculdade de Odontologia. 2018 out; 23(2). DOI: https://doi.org/10.5335/rfo.v23i2.8314
22. Ney MS, Rodrigues PHA. Fatores críticos para a fixação do médico na Estratégia Saúde da Família. Physis. 2012; 22(4): 1293-1311. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-73312012000400003.
23. Serviço Público Federal. PLANO DE CARGOS, CARREIRAS E SALÁRIOS - PCCS -. Brasília, 2012. [citado em 7 de janeiro de 2019]. Disponível em: http://transparencia.confea.org.br/wp-content/uploads/2017/05/Plano-de-Cargos-Carreiras-Sal%C3%A1rios-Confea.pdf
24. Fernandes JKB, Pinho JRO, Queiroz RCS, Thomaz EBAF. Avaliação dos indicadores de saúde bucal no Brasil: tendência evolutiva pró-equidade? Caderno de Saúde Pública. 2016; 32(2): e00021115. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00021115.
25. Araújo IDT, Machado FCA. Evolução Temporal de Indicadores de Saúde Bucal em Municípios do Rio Grande do Norte. Revista Ciência Plural. 2018; 4(2):73-86.
26. Melo LM, Moimaz S, Garbin C, Garbin AJ, Saliba N. A Construção de Uma Agenda de Gestão Compartilhada Para a Reoorganização da Demanda em Saúde Bucal. Revista Ciência Plural. 2016 ago; 2(1): 42-55.
27. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Estimativa 2018. [citado em 10 novembro 2018]. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//estimativa-incidencia-de-cancer-no-brasil-2018.pdf
28. Silva BS, Corrêa GTB, Oliveira KB, Simões AMR, Pereira LC. Conhecimento dos Cirurgiões-Dentistas da Rede Pública Sobre Câncer Bucal: Revisão de Literatura. Revista Multiprofissional e de psicologia. 2018; 12(42): 1018-1026. DOI: https://doi.org/10.14295/idonline.v12i42.1408
29. De-Carli AD, Santos MLM, Souza AS, Kodjaoglanian VL, Batiston AP. Visita domiciliar e cuidado domiciliar na Atenção Básica: um olhar sobre a saúde bucal. Saúde debate. 2015 Jun; 39(105): 441-450. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0103-110420151050002012.

Downloads

Publicado

2020-12-23

Como Citar

de Almeida, G. M., Medeiros, A. M., Branco, D. C., Lira Matos, P. B., de Nazaré Lopes, A. L., & do Nascimento, L. S. (2020). O perfil dos cirurgiões-dentistas e o monitoramento de indicadores em saúde bucal dos municípios da 1ª Regional de Saúde do Pará. Revista Brasileira De Pesquisa Em Saúde/Brazilian Journal of Health Research, 22(1), 26–34. https://doi.org/10.21722/rbps.v22i1.25861

Edição

Seção

Artigos originais