O Uso dos Aplicativos Móveis em Cidades Afastadas dos Grandes Centros: um Estudo no Município de Corumbá/MS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.47456/regec.2317-5087.2022.11.2.36611.97-117

Palavras-chave:

marketing digital, aplicativos móveis, pantanal sul mato-grossense, redes sociais

Resumo

A popularização dos aplicativos móveis fez com que os empresários investissem em seus empreendimentos, aumentando a eficiência do atendimento da demanda. O estudo deste trabalho tem como principal objetivo conhecer a contribuição dos aplicativos para o desenvolvimento do município de Corumbá. Os dados deste estudo quali-quantitativo foram coletados por meio de entrevistas com gestores de empresas que utilizam os aplicativos móveis em seus empreendimentos e um questionário semiestruturado com usuários de apps na região. Descobriu-se que apesar da crescente popularização dos aplicativos móveis, parte da população ainda tem resistência em adquirir produtos on-line. Fora descoberto também que o investimento no marketing digital por meio das mídias sociais é o principal canal de comunicação e distribuição dos empreendimentos da região. Além disso, constatou-se que o estudo traz uma oportunidade para o desenvolvimento turístico da região, podendo este ser desenvolvido com órgãos do setor do turismo e parceiros locais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Emilia Cena Gimenez, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Graduação em Administração pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Caroline Gonçalves, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Docente no Curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus do Pantanal. Doutora em Administração pela Universidade de São Paulo. Pós-doutorado em Economia pela Universidade de São Paulo.

Fernando Thiago, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS)

Professor e coordenador do curso de Administração da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Campus do Pantanal. Doutor em Administração pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul.

 

Referências

Araújo, A. C. (2016). Competências gerenciais de coordenadores de curso de graduação no Campus da Universidade Federal do Ceará em Sobral. Dissertação de mestrado, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, Ceará, CE, Brasil. Disponível:https://repositorio.ufc.br/handle/riufc/16795

Albertin, A. L., & Albertin, R. M. de M. (2017, março-abril). A internet das coisas irá muito além das coisas. FGV-executivo, 16(2), 12-17. Recuperado de https://rae.fgv.br/sites/rae.fgv.br/files/gv_v16n2_ce1.pdf.

Castells, M. (2018). A Sociedade em Rede — A era da informação: economia, sociedade e cultura. 19. ed. São Paulo: Paz e Terra.

Efing, A. & Britto, M. (2021). A reafirmação dos direitos do consumidor virtual brasileiro e a Lei Geral de Proteção de Dados. Argumenta Journal Law, 35, 93-121. Recuperado de http://dx.doi.org/10.35356/argumenta.v0i35.1780

Evans, D. S., & Schmalensee, R. (2016). Matchmakers: The New Economics of Multisided Platforms. Boston: Harvard Business Review Press.

Gil, A. C. (2021). Como fazer pesquisa qualitativa. São Paulo: Atlas.

Hajjar, D. (2017). Nos próximos três anos, a tecnologia vai evoluir mais do que evoluiu nos últimos 30. Entrevistado por Revista Nacional da Tecnologia da Informação. Revista Nacional da Tecnologia da Informação, 61, 3º trim. Recuperado de http://www.mflip.com.br /pub/rnti/?numero=61&edicao=10486.

Herscovici, A. (2021). Big data, rastreabilidade e assimetrias de informação: opacidade, ingerência e democracia. Nova economia, 31(3), 981-1010. Recuperado de https://doi.org/10.1590/0103-6351/6075

Hugon, S. (2018 – jan./fev.) As verdadeiras transformações digitais. HSM management, 126, p. 14. Recuperado de https://s3.amazonaws.com /revista-hsm-public/revistas/pdfs/126.pdf

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). Cidades. Recuperado de https://cidades.ibge. gov.br/brasil/ms/corumba/panorama.

Kotler, P., Kartajaya, H., Iwan, S. (2017). Marketing 4.0: Do tradicional ao digital. Rio de Janeiro: Sextante.

Lana, J., Partyka, R. B., Lana, J., & Silva, M. K. (2021). Percepção e desafios da gestão omnichannel: um estudo no setor de restaurantes. Revista de Administração Unimep, 19(3), 49-71. Recuperado de http://www.raunimep.com.br/ojs/index.php/rau/article/view/1756/904

Lários, A. (2003). Estudo e construção de cenários para a telefonia móvel celular no contexto brasileiro. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Porto Alegre, RS, Brasil. Recuperado de: https://www.lume.ufrgs.br /bitstream/handle/10183/4220/000408781.pdf?sequence=1&isAllowed=y

Mattar, J. (2021). Metodologia da pesquisa em educação: abordagens qualitativas, quantitativas e mistas. São Paulo: Edições 70.

Nepomuceno, C. (2018). Administração 3.0: por que e como "uberizar" uma organização tradicional. Rio de Janeiro: Alta Books.

Neves, I. B. S., Vianna, F. R. P. M., & Sutil, B. N. (2021). Algocracia: Uma análise crítica sobre a gestão mediada por algoritmos. Contextus – Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 19(16), 246-256. Recuperado de https://doi.org/10.19094/contextus.2021.67949.

Oliveira, M. F. (2011). Metodologia científica: um manual para a realização de pesquisas em Administração. Catalão: UFG.

Pizoni, R, Ghizoni, L, Paladini, E. P. (2018). Economia Compartilhada: Gestão da Qualidade aplicado a uma empresa do ramo de delivery de comida. Pretexto, 19(2), 66-75. Recuperado de http://dx.doi.org/10.21714/pretexto.v19i2.5299

Prefeitura Municipal de Corumbá. (2019). Minha Corumbá. Recuperado de https://www.corumba.ms.gov.br/minha-corumba/

Rayna, T. & Striukova, L. (2021). Involving Consumers: The Role of Digital Technologies in Promoting ‘Prosumption’ and User Innovation. Journal of the Knowledge Economy, 12, 218–237. Recuperado de https://doi.org/10.1007/s13132-016-0390-8

Santos, T. (2021). A pandemia do Covid-19 no Brasil e seus reflexos na economia compartilhada. (Dissertação de Mestrado). Pontifícia Universidade Católica de Campinas. Campinas, SP, Brasil. Recuperado de http://tede.bibliotecadigital.puc-campinas.edu.br:8080/jspui/bitstream/tede/1447/2/THIAGO%20DOS%20SANTOS.pdf

Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas do Mato Grosso do Sul (2016). Desenvolvimento Econômico Territorial de Corumbá. Recuperado de https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal%20Sebrae/UFs/MS/Anexos/Mapa%20Oportunidades/Mapa%20de%20Oportunidades%20CORUMB%C3%81.pdf

Silva, I. D., & Patriota, K. R. M.P. (2010). Netizens e prosumers: novas mídias, co-criação e consumerismo político. Anais do Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, Caxias do Sul, RS, Brasil, 33. Recuperado de http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2010/resumos/R5-2642-1.pdf

Silva, M. J. de F., Trigueiro, F. M. C., & Thiago, F. (2020). Marketing digital e comportamento do consumidor: Evidências no mercado de varejo de vestuário de Cuiabá-MT. Revista Estudos e Pesquisas em Administração, 4(2), 95-118. Recuperado de https://doi.org/10.30781/repad.v4i2.10027

Srniceck, N. (2017). The challenges of platform capitalism: Understanding the logic of a new business model. Juncture, 23(4), 254-257. Recuperado de https://doi.org/10.1111/newe.12023

Solón, P. (2019). Alternativas sistêmicas: Bem Viver, decrescimento, comuns, ecofeminismo, direitos da Mãe Terra e desglobalização. São Paulo: Editora Elefante Eireli.

Vergara, S. C. (2015). Métodos de pesquisa em administração (6a. ed.). São Paulo, SP: Atlas.

Vianna, F. (2021). Se os Dados são o Novo Petróleo, Onde Estão os Royalties? O Neoliberalismo na Era do Capitalismo de Vigilância. Revista Gestão & Conexões, 10(3), 123-143. Recuperado de https://doi.org/10.47456/regec.2317-5087.2021.10.3.36014.128-147.

Vianna, F. R. P. M., & Meneghetti, F. K. (2020). Is it crowdsourcing or crowdsensing? An analysis of human participation in digital platforms in the age of surveillance capitalism. REAd. Revista Eletrônica de Administração, 26(1), 176-209. Recuperado de http://dx.doi.org/10.1590/1413-2311.280.96476.

Weill, P., & Stephanie, W. (2017, novembro). Surviving in an increasingly digital ecosystem. MIT Sloan Management Review. Recuperado de https://sloanreview.mit.edu/article/surviving-in-an-increasingly-digital-ecosystem/.

Zuboff, S. (2019). The age of surveillance capitalism: The fight for a human future at the new frontier of power. Great Britain: Public Affairs.

Downloads

Publicado

2022-05-03

Como Citar

Cena Gimenez, M. E. ., Gonçalves, C., & Thiago, F. (2022). O Uso dos Aplicativos Móveis em Cidades Afastadas dos Grandes Centros: um Estudo no Município de Corumbá/MS. Revista Gestão & Conexões, 11(2), 97–117. https://doi.org/10.47456/regec.2317-5087.2022.11.2.36611.97-117

Edição

Seção

Artigos