O Discurso Hegemônico do Agronegócio na mídia: uma análise Gramsciana

Autores

  • Nathália Esteves da Silva Gomes Universidade Federal do Espírito Santo
  • Rafael Bellan Rodrigues de Souza Universidade Federal do Espírito Santo

Palavras-chave:

Agronegócio. Mídia. Hegemonia. Gramsci.

Resumo

Este artigo é parte de uma investigação mais ampla, ainda em curso, vinculada ao Programa de Pós-graduação em Comunicação e Territorialidades da Universidade Federal do Espírito Santo, que tem como objetivo ampliar o debate acadêmico sobre como os conflitos agrários gerados pelas atividades do agronegócio internacional do eucalipto, na região Norte do estado do Espírito Santo, são representados pela mídia capixaba. Para este texto, beberemos na contribuição do filósofo marxista Antonio Gramsci, a partir do seu conceito de hegemonia, para compreender como os discursos construídos pela mídia são capazes de redesenhar a cartografia do mundo coletivo, construindo visões hegemônicas. E em como o agronegócio tem se apropriado desse protagonismo da mídia para se projetar como o modelo de produção mais eficiente para o desenvolvimento econômico do espaço agrário brasileiro. Ao final, é possível concluir que a mídia também tem interesses na promoção do agronegócio e que, na maioria das vezes, isso não é explicitado em seus discursos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Nathália Esteves da Silva Gomes , Universidade Federal do Espírito Santo

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades (Póscom) – Ufes

Rafael Bellan Rodrigues de Souza, Universidade Federal do Espírito Santo

Professor orientador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Territorialidades (Póscom) – Ufes

Referências

CHÃ, Ana Manuela de Jesus. Agronegócio e indústria cultural: estratégia das empresas para a construção da hegemonia. Dissertação de mestrado apresentada ao Instituto de Políticas Públicas e Relações Internacionais (IPPRI) da Universidade Estadual Paulista ―Júlio de Mesquita Filho‖ (Unesp), São Paulo, 2016.

DUARTE, Jorge, BARROS, Antonio (Org.). Métodos e técnicas de pesquisa em comunicação. 2. Ed. – 9. Reimpr. – São Paulo: Atlas: 2017.

FONTES, Virginia. Intelectuais e mídia – quem dita a pauta? In: COUTINHO, Eduardo Granja (Org.). Comunicação e contra-hegemonia: processos culturais e comunicacionais de contestação, pressão e resistência. Rio de Janeiro: Editora UFRJ, 2008. p. 145-161.

GRUPPI, Luciano. O conceito de hegemonia em Gramsci. Rio de Janeiro: Graal, 1978.

LEITE, Sérgio; MEDEIROS, Leonilde. Agronegócio. In: CALDART, Roseli et al. (Orgs.). Dicionário da Educação do Campo. Rio de Janeiro, São Paulo: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, Expressão Popular, 2012.

MORAES, Dênis de. Comunicação, hegemonia e contra-hegemonia: a constribuição teórica de Gramsci. REVISTA DEBATES, Porto Alegre, v.4, n.1, p. 54-77, jan.-jun. 2010.

SANTOS, Záira Bomfante dos; OLIVEIRA, Ueber José de; GUALBERTO, Clarice Lage. O discurso midiático do agronegócio no Brasil sob um olhar da Análise Discursiva Crítica e da Semiótica Social. Diálogo das Letras, Pau dos Ferros, v. 8, n. 1, p. 159-178, jan./abr. 2019.

SOUSA, Nárgila Silva de. Representações discursivas do agronegócio e da agricultura familiar na mídia. In: II Seminário Discurso e Relações de Poder - Anais eletrônicos. Anais. Abaetetuba (PA) UFPA, 2019. Disponível em: . Acesso em: 25/10/2019.

SOUZA, Rafael Bellan Rodrigues. Enquadramentos jornalísticos e hegemonia: por uma teoria crítica da produção de sentido noticiosa. In. SOUZA, R. B. R.; CARDOSO, Y. G. (Org.). Jornalismo e Crítica de Mídia na Amazônia. 1. ed. Sâo Paulo: Scortecci, 2016. 238p.

Downloads

Publicado

2020-06-01