Voltar à encruzilhada

a poética do retorno de Geovanni Lima

Autores

  • Maíra Freitas de Souza Unicamp / PPGAV
  • Geovanni Silva Lima PPGAV-UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.47456/rf.v17i24.35564

Palavras-chave:

Geovanni Lima, performance, comportamentos reiterados, arte afro-brasileira

Resumo

A produção em arte da performance do artista capixaba Geovanni Lima é analisada a partir de uma perspectiva decolonial, considerando inflexões teóricas das epistemologias afro-brasileiras e da abordagem queer of color, ou cuír. Destacaremos a sua série de três performances Exercícios para se lembrar (2018-2021), que forneceram elementos importantes sobre a articulação entre memória, processos de subjetivação, pactos identitários e produção poética.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maíra Freitas de Souza, Unicamp / PPGAV

Maíra Freitas é doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da Unicamp, na linha de pesquisa História, Teoria e Crítica; mestra em Multimeios pela Unicamp, onde desenvolveu pesquisa intitulada Cinema português contemporâneo: a fabulação do real em Pedro Costa; e graduada em Estudos Artísticos pela Universidade de Coimbra. Atua como pesquisadora em arte contemporânea, com enfoque em videoperformance e videoarte e suas relações com gênero, sexualidade e racialidade; é arte-educadora, artista e curadora. Expôs na individual Solo da maternagem solo, no espaço cultural Torta (Campinas-SP); publicou a série de fotoperformance Deslizamento e Emersão no livro Nós (em) Butler: gênero, política, educação, ética, arte, organizado por Jacob Biziak (Ape'Ku Editora, 2020). Publica em periódicos acadêmicos e plataformas de arte. Sua pesquisa de doutorado tem financiamento da agência CAPES.

Geovanni Silva Lima, PPGAV-UNICAMP

Geovanni Lima é artista e performer. Mestre em Artes Visuais (UNICAMP) e Licenciado em Artes Visuais (UFES). Tem realizado pesquisas visuais ligadas à diáspora negra, arte contemporânea e performance. Indicado ao Prêmio PIPA 2021, seus trabalhos em performance, videoperformances e desmontagens poéticas foram apresentados em exposições, seminários e festivais na Cidade do México (MEX), Rio Grande (RS), Florianópolis (SC), Joinville (SC), Curitiba (PR), São Paulo (SP), Uberlândia (MG), Macapá (AP), região metropolitana de Vitória (ES), entre outros. Idealizador e Coordenador do Festival Lacração – Arte e Cultura LGBTI+ e do Performe-se – Festival de Performance. Portfólio: www.geovannilima.com.br

Referências

BUENO, Winnie. Imagens de controle: um conceito do pensamento de Patricia Hill Collins. Porto Alegre: Zouk, 2020.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

COLLINS, Patricia Hill. Black feminist thought: knowledge, consciousness, and the politics of empowerment. London: Routledge, 2000.

___. Pensamento feminista negro: conhecimento, consciência e a política do empoderamento. Tradução: Jamille Pinheiro Dias. 1. ed. São Paulo: Boitempo, 2019.

FREITAS, Maíra. Geovanni Lima: a performance nas raízes da pele. Hipocampo Art, Campinas, v. 8, out. 2020. Disponível em: https://hipocampo.art.br/entrevista-com-geovanni-lima/. Acesso em: 16 abr. 2021.

HALL, Stuart. Cultura e representação. Organização e revisão técnica: Arthur Ituassu. Tradução: Daniela Miranda e William Oliveira. Rio de Janeiro: PUC-Rio, 2016.

hooks, bell. Vivendo de amor. In: WERNECK, Jurema; MENDONÇA, Maisa; WHITE, Evelyn C. (Orgs.). O livro da saúde das mulheres negras: nossos passos vêm de longe. Rio de Janeiro: Pallas, 2000. v. 2, p. 188-198.

JESUS, Jaqueline Gomes de. Feminismo e identidade de gênero: elementos para a construção da teoria transfeminista. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL FAZENDO GÊNERO – DESAFIOS ATUAIS DO FEMINISMO, 10., 2013, Florianópolis. Anais. Florianópolis: UFSC, 2013, p. 1-10.

LIMA, Geovanni. Epiderme social, 2015. Disponível em: https://www.geovannilima.com/epiderme-social. Acesso em: 29 abr. 2021.

___. Exercícios para se lembrar, Quantos passos valem uma caminhada?, 2018. Disponível em: https://www.geovannilima.com/quantos-passos-valem. Acesso em: 29 abr. 2021.

___. Exercícios para se lembrar, Branqueamento ou ação repetida de cuidar, 2019. Disponível em: https://www.geovannilima.com/branqueamento-ou-acao. Acesso em: 29 abr. 2021.

___. Exercícios para se lembrar, Rei da Primavera, 2021. Disponível em: https://www.geovannilima.com/rei-da-primavera. Acesso em: 29 abr. 2021.

NASCIMENTO, Abdias. O quilombismo: documentos de uma militância pan-africanista. São Paulo: Perspectiva, 2019.

NASCIMENTO, Beatriz. O conceito de quilombo e a resistência cultural negra. Afrodiáspora. Revista do Mundo Negro, Ipeafro, ano 3, n. 6 e 7, p. 41-49, 1985.

NOGUEIRA, B. Isildinha. Significações do corpo negro. 1998. Tese (Doutorado em Psicologia Escolar e do Desenvolvimento Humano) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

PELÚCIO, Larissa. Traduções e torções ou o que se quer dizer quando dizemos queer no Brasil? Periódicus, Salvador, v. 1, n. 1, p. 24, mai./out. 2014.

PEREIRA, Pedro Paulo Gomes. Queer decolonial: quando as teorias viajam. Contemporânea – Revista de Sociologia da Ufscar, São Carlos, v. 5, n. 2, p. 411-437, jul./dez. 2015.

PRANDI, Reginaldo. Mitologia dos Orixás. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

RUFINO, Luiz. Pedagogia das encruzilhadas. Revista Periferia, v. 10, n. 1, p. 71-88, jan./jun. 2018.

SARDENBERG, Cecília. Conceituando “empoderamento” na perspectiva feminista. In: SEMINÁRIO INTERNACIONAL: TRILHAS DO EMPODERAMENTO DE MULHERES – PROJETO TEMPO, 1., Salvador, 2006. Anais. Salvador: NEIM/UFBA, 2006.

SCHECHNER, Richard. O que é performance? O Percevejo, ano 11, n. 12, p. 25-50, 2003.

VIEIRA JR., Erly. Exercícios do olhar, exercícios do sentir. Vitória: Cousa, 2019.

Downloads

Publicado

2021-09-21

Como Citar

Souza, M. F. de ., & Lima, G. S. . (2021). Voltar à encruzilhada: a poética do retorno de Geovanni Lima. Revista Farol, 17(24), 45–56. https://doi.org/10.47456/rf.v17i24.35564

Edição

Seção

Seção Temática