Dramaturgia da harmonia

uma encenação musical por Arnold Schoenberg

Autores

  • Doriedison Coutinho de Sant'Ana Faculdade de Música do Espírito Santo FAMES

Palavras-chave:

música, harmonia, fábula, movimento

Resumo

Este artigo pretende mostrar, sob a ótica da encenação, a ludicidade e imaginação do músico Arnold Schoenberg ao discursar sobre o comportamento dos eventos sonoros no processo de Modulação dentro da Harmonia Musical. “Desenhar” movimentos sonoros e transformá-los em arte musical é uma atividade que exige do inventor/compositor um olhar atento sobre as questões da arte do movimento. É necessário criar combinações que soem como arte. Para tanto, é fundamental conhecer bem a linguagem da música e, por outro lado, “enxergar” nos movimentos sonoros algo de extra-musical, perceber além do óbvio, imaginar certa “fábula” acontecendo entre os sons. Para demonstrar isso, faremos paralelos entre a criação melódica e a encenação de ator, lançando um tipo de olhar fabuloso sobre as primeiras páginas do capitulo “Modulação”, do livro “Harmonia”.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Doriedison Coutinho de Sant'Ana, Faculdade de Música do Espírito Santo FAMES

Mestre em Artes - Artes Cênicas, pela Universidade Federal de Minas Gerais. Especialista em Musicoterapia pela Universidade Federal de Pelotas, RS (2005). Possui graduação em Música - Bacharel em Composição pela Universidade Federal de Minas Gerais (2003). Atualmente, membro da diretoria da Associação de Musicoterapia do Espírito Santo. Foi professor de música na Universidade Federal do Espírito Santo - UFES, 2007 e 2008, 2015 a 2017; na Faculdade de Música do Espírito Santo "Maurício de Oliveira", de 2005 a 2014, 2017 até a presente data; de "voz para atores" na faculdade de Artes Cênicas da Universidade Vila Velha - UVV, 2011 - 2013. Músico - pianista, compositor, Diretor e Ator. Atua na na área das Artes, na Direção Musical de espetáculos de teatro e dança, na Direção de shows de música, na Composição de trilhas sonoras para espetáculos de teatro e dança; Composição - música de concerto para grupos orquestrais, solistas.Pesquisador da Música (composição, melodia e contraponto) e do Teatro (corpo e movimento, ação física). Estuda a melodia como um gesto das ações humanas sobre o corpo sonoro e o contraponto como a técnica para a "encenação" das melodias. No Teatro estuda o movimento corporal por meio da Mímica Corporal Dramática, de Étienne Decroux, sob a orientação de Ana Teixeira (Amok Teatro), e o atletismo afetivo e a vocalidade do ator, por Antonin Artaud, sob a orientação de Stephane Brodt (Amok Teatro).

Referências

BRAIT, Beth. Bakhtin: conceitos chave. 2. Ed. – São Paulo: Contexto, 2005.

DELEUZE, G.; GUATTARRI, F. Mil Platôs: capitalismo e esquizofrenia. Vol. 1. Tradução de Aurélio Guerra Neto e Celia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.

LABAN, Rudolf. O Domínio do Movimento. São Paulo: Summus, 1978.

MOTA, Marcus. A Dramaturgia Musical de Ésquilo: investigações sobre composição, realização e recepção de ficções audiovisuais. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2008.

NETO, Euclides Silvestre Pereira. Nietzsche: Corpo como Expressão da Vida como Fio Condutor da Vontade de Poder. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Artes. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, p. 85. 2017.

NIETZSCHE, Friedrich. Vontade de Potência. Póstumo. 1906. Disponível em:

http://www.afoiceeomartelo.com.br/posfsa/autores/Nietzsche,%20Friedrich/Friedrich%20Nietzsche%20-%20Vontade%20de%20Pot%C3%AAncia.pdf. Acesso em: 09/11/2020.

PAVIS, Patrice. A análise dos espetáculos. Trad. Sérgio Sálvia Coelho. São Paulo. Perspectiva, 2003.

___. Diccionario Del Teatro: dramaturgia, estética, semiologia. Paidós, 1998 (1996).

PICON-VALLIN, Béatrice. A música no jogo do ator meyerholdiano. In: Le jeu de l’actor chez Meyerhold et Vakhtangov. Paris, T. III, p.35-56, 1989. Tradução: Roberto Mallet. Disponível em: https://pt.scribd.com/document/342920482/A-Musica-No-Jogo-Do-Ator-Meyerholdiano-Beatrice-Picon-Vallin-pdf

ROUBINE, Jean-Jacques. A Linguagem da Encenação Teatral. 2ª ed. Rio de Janeiro – Jorge Zahar editor, 1998.

SANT’ANA, Dori. Melodia cênica: um paralelo entre a melodia musical e o movimento corporal do ator / Doriedison Coutinho de Sant'Ana – Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Minas Gerais. Escola de Belas Artes. 2012. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/JSSS-8UDP5S

SCHOENBERG, Arnold. Harmonia. São Paulo: Editora da UNESP, 2001.

___. Fundamentos da Composição Musical. São Paulo: EDUSP, 1991.

STANISLAVSKI, Constantin. Manual do Ator. São Paulo/SP: Martins Fontes, 1997.

___. Poética Musical em 6 lições. São Paulo: Jorge Zahar Editora, 1996.

WISNIK, José Miguel. O Som e o Sentido. 3a edição – São Paulo: Companhia das Letras, 2017.

Downloads

Publicado

2021-07-19

Como Citar

Sant’Ana, D. C. de . (2021). Dramaturgia da harmonia: uma encenação musical por Arnold Schoenberg. Revista Do Colóquio, (20), 138–150. Recuperado de https://portaldepublicacoes.ufes.br/colartes/article/view/35532