Cópia e pastiche: plágio na comunicação científica

Autores

  • Debora Diniz Universidade de Brasília
  • Ana Terra Mejia Munhoz

DOI:

https://doi.org/10.18315/argumentum.v3i1.1430

Resumo

A comunicação científica em humanidades enfrenta uma mudança no formato das publicações e no volume da produção editorial no Brasil. Houve um crescimento significativo no número de autores e um maior fluxo de produção em periódicos científicos em formato digital. Este artigo explora um aspecto central da ética na comunicação científica – o plágio. O plágio define-se como uma apropriação indevida de criação literária, que viola o direito de reconhecimento do autor e a expectativa de ineditismo do leitor. Como regra, o plágio é uma infração ética que desrespeita a norma de atribuição de autoria na comunicação científica. O artigo analisa duas estratégias comuns de plágio: a cópia e o pastiche. Em casos de criação literária protegida por direitos autorais, o plágio pode também ser crime.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-09-01

Como Citar

Diniz, D., & Munhoz, A. T. M. (2011). Cópia e pastiche: plágio na comunicação científica. Argumentum, 3(1), 11-28. https://doi.org/10.18315/argumentum.v3i1.1430

Edição

Seção

Debate