CARTA PESSOAL: DO DIÁLOGO AO MONÓLOGO COMO MEIO DE EXPRESSÃO, REFLEXÃO, ENFRENTAMENTO DOS MEDOS E HUMANIZAÇÃO.

Rogério Nascimento Bortolin, Evandro Melo Catelão, Givan José Ferreira dos Santos

Resumo


O trabalho com os gêneros textuais é uma prática bem vista em sala de aula, haja vista as possibilidades dos caminhos que se podem trilhar. O gênero carta pessoal foi o escolhido para o desenvolvimento de uma oficina de produção de texto que culminou na escrita desse artigo. A novidade, porém, foi a abordagem “desconstruída” e inovadora que foi dada a tal trabalho. Os objetivos eram quebrar a característica dialógica desse gênero, transformando-a em um monólogo e de levar os alunos a se expressarem, refletirem, enfrentarem os seus medos e caminhar assim em direção a humanização. As produções e interpretações dos comandos para escrever cartas para os heróis, vilões e para o “eu” do futuro foram os disparadores da oficina que obteve resultados alem dos esperados e que podem ser comprovados nas análises de três cartas escolhidas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2017 PERcursos Linguísticos

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

This work is licensed under a Creative Commons  Attribution-NonCommercial-NoDerivatives 4.0 Internacional (CC BY-NC-ND 4.0). For more information about the license:https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/