Contos e encontros: ocupação de áreas de interesse ambiental e conflitos entre políticas públicas e comunidades locais em Vitória-ES

Márcio Antônio Farias de Freitas, Edimilson Rodrigues de Souza

Resumo


A proposta  deste  artigo  é  interrogar  os  discursos  de  sustentabilidade  da  Prefeitura Municipal  de  Vitória-ES, a  partir  da  descrição  de  um  dos  focos  deste  conflito,  a comunidade  conhecida  como  “Campinho”  no  alto  do  morro  da  Fonte  Grande,  que ganhou visibilidade a partir da criação do Parque Estadual da Fonte Grande em 1986. Considerando  os  vários  atores  e  órgãos  envolvidos  nesta  problemática,  esta  leitura  do conflito tentará evidenciar as circularidades presentes nas falas e práticas dos moradores do  local,  na  tentativa  de  questionar  políticas  “desenvolvimentistas”  e  práticas  de “remanejamento”  que  têm  desconsiderado  as  matas  nos  morros  e  seus  arredores,  e  o canal do mangue na baía de Vitória, como ambientes socializados através das formas de organização da produção e pertencimento das identidades coletivas.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.