A formação do gestor ambiental no Brasil – considerações sobre estratégia e sustentabilidade

Luiz Leandro, Elza Neffa

Resumo


Esse artigo questiona se é possível formar o gestor ambiental segundo a lógica do Pacto Global e do pensamento de Michel Porter considerando-se a literatura crítica que revela a incompatibilidade entre o modo  capitalista   de   produção  e   a   sustentabilidade socioambiental.   Apresenta  o  estado   da   arte   dos   duzentos   cursos   superiores   de   Gestão Ambiental   desenvolvidos nas regiões brasileiras, nas modalidades bacharelado ou tecnológico, identificando-os em  relação   ao   processo de industrialização/IDH   e   à degradação/recuperação dos espaços locais. A pesquisa incorpora a revisão bibliográfica da história da formação superior nessa área e a descrição das concepções preconizadas nos cursos, objetivando subsidiar a análise do discurso dos depoimentos inerentes às entrevistas a serem feitas posteriormente, que explicitarão a práxis dos gestores no exercício laboral.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.