O Movimento LGBT e a Luta pelo Reconhecimento da Família Homoparental

Daniela Bogado Bastos de Oliveira

Resumo


A legitimação de um discurso abre espaço para reivindicação de interesses. A discussão sobre a homoparentalidade – designação de família composta por homossexuais com filho(s) que representa um novo paradigma de família pós-tradicional que desvincula a ideia de reprodução de filiação num contexto de socioafetividade – não inaugura uma realidade social, somente permite visibilidade ao fato de que os homossexuais podem exercer a função parental na estrutura familiar.  E tal condição a inclui na pauta de conquista de direitos, convergindo para a ampliação da concepção de entidade familiar que passa a ser funcionalizada e plural. O reconhecimento das demandas LGBT tem como refletir a politização do privado na formulação de uma agenda política que propicie políticas públicas voltadas para os direitos/interesses desta minoria. Na situação hodierna, bem veiculada pela mídia, a presença e a atuação das organizações LGBT ganham destaque e amplitude, pois as transformações das representações e atitudes em relação à homossexualidade registram a emergência do movimento LGBT na esfera pública. Neste sentido, a homoparentalidade atesta o grau e a profundidade de mudanças que a sociedade contemporânea está vivendo. Assim sendo, entende-se que a democratização das relações LGBT expressa um índice de qualidade de cidadania.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.