Educação profissional técnica no Brasil e no Espírito Santo: do economicismo à mercantilização política-econômica

Marcelo Lima

Resumo


Ao estudarmos por meio de análise histórico documental a trajetória da educação profissional descrita pelas configurações reconfigurações dos modelos pedagógicos dos currículos é possível perceber que, além da busca pela transformação da educação como instrumento imediatamente produtivo nos moldes da Teoria do Capital Humano, existem outras tendências que podem modificar não só os currículos e o seu nível de vinculação com as demandas do setor produtivo como podem transformar a própria oferta da formação profissional tornando–a objeto de uma mercantilização político–eleitoral e também econômico–financeira na medida em que essa modalidade de ensino se fasta da condição de direito social e assume contornos inerentes ao jogo de interesses de mercado político e econômico na direção da aceleração do tempo socialmente necessário para a formação profissional.

Apontamentos

  • Não há apontamentos.