Criminalização dos movimentos sociais: a experiência da reclusão a partir da fala de quatro manifestantes presos nas jornadas de junho em Vitória/ES

Rosangela de Matos Cardoso, Lucia Mara dos Santos Martins

Resumo


O presente estudo, que classificamos como ensaio etnográfico, objetiva trazer um relato da experiência da reclusão de quatro manifestantes presos durante as jornadas de junho em Vitória/ES. Optamos por utilizar como metodologia da pesquisa a entrevista do tipo “relato de vida” descrita por Berteaux e, buscando compreender os relatos, utilizamos a hermenêutica, apoiados nos ensinamentos de Patrícia Jordão sobre uma nova concepção de etnografia  e seus sujeitos. Para a confecção do texto etnográfico e os relatos dos pesquisados nos ativemos ao que nos fornece a teoria da antropologia moderna proposta por alguns autores como Geertz, Caldeira e Oliveira. A conclusão do estudo, conforme a “voz” dos manifestantes ouvidos, é que ocorre uma criminalização dos movimentos sociais e ainda que a falsa imputação de participação de pessoas que apenas transitavam pelo local seria uma manobra planejada pelos responsáveis pela repressão para arrefecer o movimento.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.