HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO E DA DEFICIÊNCIA PERMEADA POR UMA REFLEXÃO EPISTEMOLÓGICA: DA EDUCAÇÃO PRIMITIVA À ROMANA

Rosana de Castro Casagrande, Jefferson Mainardes

Resumo


Este estudo tem por objetivo propor uma reflexão epistemológica por meio da inserção da história da deficiência no contexto da história da educação. Para tal, utilizou-se de uma abordagem de pesquisa qualitativa, de natureza bibliográfica, delimitando-se no período compreendido da história da educação primitiva à romana. Por meio de uma abordagem sociocultural, descreve e aponta pontos de convergência entre as histórias da educação e da deficiência, utilizando, como referencial teórico, autores da história da educação e da educação especial. Conclui demonstrando a possibilidade de considerar a história da deficiência no contexto histórico da educação e mostrando a presença de marginalização, segregação e violência, tanto no âmbito da história da educação dos menos favorecidos quanto na história da educação das pessoas com deficiência, desde a educação primitiva até a romana.

Palavras-chave: História da educação. História da deficiência. Reflexão epistemológica.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDERY et al. Para compreender a ciência: uma perspectiva histórica. Rio de Janeiro: Garamond, 2007.

BADARÓ, C. E. Epistemologia e ciência: reflexão e prática na sala de aula. Bauru, SP: EDUSC, 2005.

BLANCHÉ, R. A epistemologia. 4. ed. Lisboa: Editorial Presença, 1988.

Estudo posterior fará uma análise histórica da educação e da educação especial, considerando o período da educação cristã aos dias atuais.

CASTAÑON, G. Introdução à epistemologia. São Paulo: EPU, 2007.

GAMBOA, S. S. Pesquisa em educação: métodos e epistemologias. Chapecó: Argos, 2007.

JAPIASSU, H. Introdução ao pensamento epistemológico. 7. ed. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 1992.

______. Questões epistemológicas. Rio de Janeiro: Imago, 1981. LUZURIAGA, L. História da educação e da pedagogia. 8. ed. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1976. MANACORDA, M. A. História da educação: da antiguidade aos nossos dias. 2. ed. São Paulo: Cortez; Autores Associados, 1989.

PESSOTI, I. Deficiência mental: da superstição à ciência. São Paulo: EDUSP, 1984.

SAVANI, D. Epistemología de las políticas educativas: algunas precisiones conceptuales. In: TELLO, C. (Coord.). Epitemologías de la política educativa: posicionamentos, perspectivas y enfoques. Campinas, SP: Mercado das Letras, 2013.

SILVA, O. M. Epopeia ignorada: a história da pessoa deficiente no mundo de ontem e de hoje. São Paulo: CEDAS, 1987.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.