A Política para a educação da pessoa com deficiência visual no Estado do Paraná: Uma abordagem da década de 2000

Patricia da Silva Zanetti, Isaura Monica Souza Zanardini, Lucia Terezinha Zanato Tureck

Resumo


Resumo: Este artigo propõe-se a realizar uma análise de como o estado do Paraná, por intermédio de leis, deliberações, instruções e documentos norteadores, tem compreendido a educação das pessoas com deficiência visual desde a década de 2000 A ênfase será dada ao documento publicado em 2006: Diretrizes Curriculares da Educação Especial para a Construção de Currículos Inclusivos. Neste artigo explicita-se que tais políticas estão distantes de possibilitar um avanço no que concerne à qualidade dessa educação, visto que não há um comprometimento por parte desse Estado com recursos financeiros, formação de professores e condições de acesso aos materiais específicos necessários para que os alunos com deficiência visual estejam em sala de aula comum com condições apropriadas. A discussão efetiva-se com base na análise bibliográfica e documental, visando apresentar as políticas que emanaram desse Estado para parte de um público-alvo da educação especial. Constata-se que a falta de investimentos financeiros e de pessoal e o não planejamento de forma a integrar toda a rede de apoio à escolarização dos alunos com deficiência visual têm dificultado um avanço na disponibilização dessa escolarização no período indicado. Embora tenha sido constatado um aumento na matrícula, ela não veio acompanhada de condições necessárias ao ensino desses alunos que tenham como primazia o seu desenvolvimento humano integral.

Palavras-chave: Política educacional. Estado do Paraná. Deficiência visual.


Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Política Nacional de Educação Especial. Brasília: MEC/SEESP, 1994. 15 p.

______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Diretrizes Nacionais para a Educação Especial na Educação Básica. Brasília, 2001. 79 p.

CARVALHO, A. R. Inclusão social e as pessoas com deficiência: uma análise na perspectiva crítica. 2009. 178 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel, 2009.

CARVALHO, J. R. Análise da Política Educacional para as Pessoas com Deficiência Pós LDBEN 9.394/96: A Questão do Acesso à Educação Básica. 2008. 131 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Educação, da Universidade Federal do Paraná. Curitiba, 2008.

PADILHA, A. M. L. Educação inclusiva: já se falou muito sobre ela? Educ. Foco, Juiz de Fora, Edição Especial, p. 313-332, fev. 2015.

PARANÁ. Secretaria de Estado da Educação. Superintendência da Educação. Diretrizes curriculares da educação especial para a construção de currículos inclusivos. Curitiba: SEED, 2006. 58 p.

SILVEIRA BUENO, J. G. Educação especial brasileira: integração/segregação do aluno diferente. São Paulo: EDUC, 1993.

SILVA, O. M. A epopéia ignorada: a pessoa deficiente na história do mundo de ontem e de hoje. São Paulo: CEDAS, 1986.

VIGOTSKI, L. S. Obras completas. Fundamentos de defectologia. Tomo cinco. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1997.

SAVIANI, D. Pedagogia histórico-crítica: primeiras aproximações. 11ª edição revisada. Campinas, SP: Autores Associados, 2011.

________. Entrevista com Dermeval Saviani sobre o Plano Nacional de Educação (PNE). Rio de Janeiro: Associação Nacional de Pesquisadores em Educação (ANPED). Disponível em: . Acesso em: 28 nov. 2014.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.