ABORDAGEM TEÓRICA ACERCA DA DEFICIÊNCIA AUDITIVA EM PORTUGAL

Anabela Cruz Santos

Resumo


Este artigo tem como objetivo apresentar uma caracterização geral da Deficiência Auditiva, tendo em vista o conceito, classificação, tipos e graus de Deficiência Auditiva. É igualmente explanado os sistemas de comunicação usados no apoio a crianças com esta problemática em Portugal. Foi realizada uma pesquisa da literatura de forma a fazer um levantamento dos sistemas preferenciais, efeitos positivos da identificação e intervenção precoce. É apresentada uma secção dedicada à aquisição da língua gestual portuguesa, seus efeitos em crianças em idade-pré-escolar, e práticas centradas na investigação tendo em conta a língua primária destas crianças. Os sistemas abordados pretendem contribuir para um maior conhecimento de investigadores, profissionais e pais

Texto completo:

PDF

Referências


AMARAL, M. A.; COUTINHO, A.; DELGADO-MARTINS, M. R. Para uma gramática da Língua Gestual Portuguesa. Lisboa: Caminho, 1995.

ANDRADE, F. Perturbações da linguagem na criança: análise e caracterização. Aveiro: Universidade de Aveiro, 2008.

ATHAYDE, M. L.; CARVALHO, Q.; MOTA, H. B. Vocabulário expressivo de crianças com diferentes níveis de gravidade de desvio fonológico. Revista CEFAC, v. 11, supl. 2, p. 161-168, 2009.

BAPTISTA, M. S. Alunos Surdos: Aquisição da língua gestual e ensino da língua portuguesa. Revista EXEDRA, 9, p. 197-207, 2010.

BEFI-LOPES, D.; PUGLISI, M.; RODRIGUES, A.; GIUSTI, E.; GÂNDARA, J.; ARAÚJO, K. Perfil comunicativo de crianças com alterações específicas no desenvolvimento da linguagem: caracterização longitudinal das habilidades pragmáticas. Rev Soc Bras Fonoaudiologia, v. 12, n. 4, p. 265-73, 2007.

BRANCALIONI, A.; MARINI, C.; CARVALHEIRO, L. G.; KESKE-SOARES, M. Desempenho em prova de vocabulário de crianças com desvio fonológico e com desenvolvimento fonológico formal. Revista CEFAC, v. 13, n. 3, p. 428-436, 2011.

CORREIA, L. M. Inclusão e necessidades educativas especiais: um guia para educadores e professores. Porto: Porto Editora, 2008.

CRYSTAL, D. Dicionário de Linguística e Fonética. 2. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2000.

DECRETO-LEI 3/08, de 7 de Janeiro.

GOMES, M. C. F. O panorama atual da educação de surdos. Na senda de uma educação bilíngue. Revista EXEDRA, n. 3, p. 59-74, 2010.

HAGE, S. R. V.; PEREIRA, M. B. Desempenho de crianças com desenvolvimento típico de linguagem em prova de vocabulário expressivo. Revista CEFAC, Out-Dez, v. 8, n. 4, p. 419-428, 2006.

LIMA, E. R. S.; CRUZ-SANTOS, A. Aquisição dos gestos na comunicação pré-linguística: uma abordagem teórica. Rev Soc Bras Fonoaudiologia, v. 17, n. 4, p. 495-501, 2012.

MAGALHÃES, J. Revisão Constitucional e Língua Gestual Portuguesa. III Seminário sobre reabilitação da criança surda. Porto: Fundação Eng. António de Almeida, 1999.

MOURA, M. C.; LODI, A. C.; HARRISON, K. M. A História e Educação: o surdo, a oralidade e o uso de sinais. In: Lopes Filho, O.C. (Ed.). O Tratado de Fonoaudiologia. p. 341-364. Ribeirão Preto, SP: Tecmedd, 2015.

PEREIRA, R. C.. Surdez: Aquisição de linguagem e inclusão social. Rio de Janeiro: Revinter, 2008.

RIGOLET, S. A. Para uma aquisição precoce e optimizada da linguagem. Porto: Porto Editora, 2006.

RODRIGUES, D. Educação especial e inclusiva em Portugal: factos e opções. Revista Educação Inclusiva, v. 3, n. 1. p. 97-109, 2010.

SIM-SIM, I. Desenvolvimento da linguagem. Lisboa: Universidade Aberta, 1998.

SIM-SIM, I. A criança surda: contributos para a sua educação. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2005.

WEISMER, S. E.; EVANS, J. L. The role of processing limitations in early identification of specific language impairment. Topics in Language Disorders, v. 22, n. 3, p. 15-29, 2002.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.